Roberta Stella | Nutrição comportamental, sem dieta e mais empática

Por que não é falta de força de vontade abandonar a dieta

| 0 comentários

Quando alguém abandona a dieta ou quer se justificar por ter deixado a restrição de lado, são comuns frases como “eu não tive força para resistir” ou “me faltou força de vontade para me manter na linha”. Um dos efeitos colaterais de qualquer restrição é sempre dar a sensação de que é uma falha da pessoa que deixou a dieta de lado e jamais mostrar que qualquer dieta está fadada a dar errada. Se tem alguma falha, ela é inerente à restrição alimentar ou à dieta.

Apesar do Homem estar na Terra há centenas de milhares de ano, uma característica não sofreu alteração até os dias de hoje: o corpo lança mão de todos os recursos para preservar a vida quando percebe que está em situação de risco. Vale lembrar que em qualquer restrição alimentar, o nosso organismo entende que não há disponibilidade de alimentos e, portanto, precisa usar recursos para que o corpo não definhe, não se desgaste excessivamente e, assim, ele preserva as funções vitais para manter-se vivo.

Isso explica o porquê da maioria das pessoas que fazem dieta recuperarem o peso. Simplesmente porque, ao entrar em uma restrição alimentar e baixar o peso corporal, o sistema de alarme do organismo dispara: para não haver tanta perda de energia, o corpo reduz o metabolismo. Para voltar ao peso natural, aquele que o cérebro identifica como o ideal para o corpo, há o aumento da fome.

Sobre a perda de peso, vale lembrar que ela acontece não somente com a redução da quantidade de gordura corporal mas, também, da de músculos. Gordura é estoque de energia; músculo é o tecido ativo e, portanto, gasta energia. Mais um motivo da redução do metabolismo já que, no emagrecimento, há a diminuição do tecido que gasta energia (músculos).

Assim, se há uma redução do metabolismo e, ao mesmo tempo, o aumento da fome; quebrar a dieta é um mecanismo de defesa do corpo, é natural e saudável. Nada tem a ver com força de vontade. Não é culpa de quem faz dieta mas, é da própria dieta.

E por que há a recuperação do peso tão facilmente, muitas vezes, maior do que o peso inicial à dieta?

Peso natural e efeito sanfona

A recuperação rápida do peso e superior ao peso inicial à dieta é uma resposta da diminuição do metabolismo e do excesso de comida ingerida que se sucede à quebra da restrição alimentar. O comer em excesso, também, é uma resposta natural para recuperar, não somente o peso natural do corpo mas, para, também, repor a quantidade de gordura corporal e de massa magra perdidas. A velocidade de recuperação desses dos tecidos é diferente: gordura ocorre mais rapidamente do que de massa magra. Então, até se chegar à massa magra há um maior ganho de gordura no corpo do que havia no início da dieta.

Todo esse mecanismo explica porque muitas pessoas com corpos gordos comem pouco e não conseguem reduzir de peso. Após passar por muitas dietas, o metabolismo está mais baixo, houve grande recuperação de gordura e, por mais restrição que volte a fazer, há grande dificuldade ou nenhuma perda de peso.

Para quebrar esse cenário, é importante deixar de fazer dietas (e isso não significa não cuidar da alimentação e movimentar mais o corpo). É aceitar o peso natural do corpo que, para muitas pessoas (talvez para a maioria), ele significa estar acima do peso desejado.

Deixe uma resposta

Campos requeridos estão marcados *.


Google+